Existência Relativa

5 de June de 2015

Upside down 

Filed under: Uncategorized — Mãe de 04 @ 4:40 PM

sentindo no corpo o que a garganta não grita, o que o pensamento não elabora, o que o coração evita e o que os olhos não choram. queria entender melhor o que significa o tal cuidar

na coluna a sensação de querer me separar em pedaços: a mãe, a empreendedora, a amada, a filha, a amiga e viver o que cada uma delas quer independentemente. 

no pescoço uma trava que impossibilita olhar para o lado apenas com a cabeça. O corpo todo tem que girar junto. me parece um sinal de que, ou isso tudo muda por inteiro ou vai doer bastante. não falo de uma dor física. 

a constante montanha russa da minha vida, que me enlouquece, que me tira do sério. não gosto dela. queria uma vez na vida seguir uma rota retilínea. vejo a felicidade alí do outro lado das montanhas. o caminho em linha reta é o mais curto, ou não? 

ando com preguiça de resolver as questões mais práticas e com uma vontade louca de romper correntes, de me jogar nessa vida e em tudo que há pra ser vivido. 

não é querer que as coisas estejam prontas. não é isso. mas precisava ser tão complexo? ao buscar silêncio, ao buscar auto conhecimento, ao buscar a simplicidade das coisas, acreditei que a vida acompanharia o ritmo. 

vou parar de mimiar, começaremos por aqui. 

Advertisements

Leave a Comment »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: