Existência Relativa

21 de June de 2007

gotas

Filed under: de fora pra dentro — Mãe de 04 @ 3:46 PM

era uma garrafa de água, simples, transparente e de alguns mls, mas me fez pensar na vida como nunca havia pensado antes.

a água que antes estava lá e que a dava utilidade (a de guardar a desejada água) não estava mais lá. havia ido embora, morar dentro de alguém por alguns minutos, ou até horas, pra depois ir embora, levando tudo de ruim que conseguira tirar.

e restaram gotas, pequenas gotas que estavam separadas e grudadas na parede da tal garrafa. gotas que antes estavam juntas e não se faziam notar, porque estavam tão unidas. unidas pelo mesmo objetivo, de ser únicas e de serem água.

 mas agora a única forma da gente juntar todas elas, era batendo na garrafa e deixando ela de cabeça para baixo. era preciso esperar, esperar muito até que todas ficassem juntas e virassem uma grande gota d’agua, para então, saírem todas juntas daquele local.

ou então colocar mais água na garrafa e fazer com que aquelas gotas voltassem a ficar juntas.

e foi aí que eu pensei que tudo era apenas um ciclo, porque depois outras gotas ficariam alí. presas. soltas. desunidas.

e aí, mesmo sem ninguém notar, uma gota solitária desceu dos meus olhos e eu entendi como era a vida e como era o amor…

…com ajuda de uma garrafa d’agua.

Advertisements

3 Comments »

  1. é linda essa metáfora… linda demais…

    eu acredita que preencher a garrafa com mais água é melhor opção, e assim continuarmos alimentando o amor que existe em nós…

    E assim fecharemos o ciclo, de dar amor e receber… infitamente…

    igual às estrelas…

    Comment by manipulacoes — 23 de June de 2007 @ 6:29 PM | Reply

  2. […] 19, 2008 · No Comments eu queria voltar nesse dia e viver apartir dele […]

    Pingback by reprise. « Existência Relativa — 19 de January de 2008 @ 2:06 PM | Reply

  3. Curioso as gotas serem só gotas. hoje vi mais delas. visitei seus dias, visitei tantos e me espalhei no meio delas. as gotas são poucas, são bastantes! permita-me gotejar um pouco e quem sabe reuni-las na proximidade das suas.

    Comment by preto — 3 de March de 2009 @ 2:50 AM | Reply


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: